Inicial O Escritório Localização Contato
Artigos Links Úteis Notícias Área de Atuação Premios Recebidos Propriedade Intelectual
 
Notícias
15/01/2014
Indenização por pirataria de software deve ter caráter punitivo e pedagógico
 
Em casos de pirataria de software, apenas o pagamento do valor dos programas de computador que foram utilizados sem licença não indeniza todos os prejuízos suportados pela vítima. 

O entendimento é da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), aplicado no julgamento de recurso especial interposto pela Microsoft Corporation. A Turma aumentou o valor da indenização imposta à empresa STF Sistema de Transferência de Fax Ltda. pelo uso de softwares piratas. 

Medida cautelar de vistoria, feita na sede da empresa, constatou a utilização de 19 cópias não autorizadas de programas desenvolvidos pela Microsoft. A sentença, confirmada no acórdão de apelação, condenou a STF ao pagamento de indenização no valor de cada um dos programas, além de multa diária de R$ 1 mil, no caso de continuidade do uso. 

Caráter punitivo

A Microsoft recorreu da decisão ao STJ. Alegou que a reparação de danos por violação de direitos autorais, de acordo com o artigo 102 da Lei 9.610/98, deve ter caráter punitivo e pedagógico, isto é, não deve se limitar ao valor das cópias não autorizadas, pois restringir a indenização ao valor nominal seria um estímulo à prática ilícita. 

A relatora, ministra Nancy Andrighi, concordou com os argumentos apresentados pela Microsoft. Citou dados de uma pesquisa desenvolvida pela BSA – The Software Alliance, entidade internacional que congrega as empresas desenvolvedoras de programas de computador e implementa políticas de combate à pirataria de software. 

Segundo a entidade, disse a ministra, “se a pirataria fosse reduzida no Brasil em dez pontos percentuais nos próximos quatro anos, seriam criados mais de 12,3 mil postos de trabalho e mais de US$ 4 bilhões seriam devolvidos à economia brasileira”. 

Majoração

“A mera compensação financeira mostra-se não apenas conivente com a conduta ilícita, mas estimula sua prática, tornando preferível assumir o risco de utilizar ilegalmente os programas, pois, se flagrado e processado, o infrator se verá obrigado, quando muito, a pagar ao titular valor correspondente às licenças respectivas”, disse a relatora. 

Tomando como base decisões proferidas pelo STJ em casos semelhantes, a Turma seguiu o voto da relatora para dar provimento ao recurso e elevou o valor da indenização para o equivalente a dez vezes o valor de mercado de cada um dos 19 softwares utilizados sem a licença.
 
 
Fonte: Coordenadoria de Editoria e Imprensa STJ em 28/11/2013

[+] Notícias
04/09/2015 - CONTRATOS RELATIVOS AO PCT - PLANO DE PARTICIPAÇÃO COMUNITÁRIA DA INEPAR
CONTRATOS RELATIVOS AO PCT - PLANO DE PARTICIPAÇÃO COMUNITÁRIA DA INEPAR
SE VOCÊ TEM CONTRATO ASSINADO COM A INEPAR, REFERENTE A AQUISIÇÃO DE LINHAS DE TELEFONE NA CIDADE DE CAMPO GRANDE (MS), E ESTÁ FORA DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL, PODERÁ ENTRAR EM CONTATO COM NOSSO ESCRITÓRIO PARA MAIORES ESCLARECIMENTOS.   PARA OS QUE RESIDEM EM CAMPO GRANDE, PODE NOS PROCURAR DIRETAMENTE EM NOSSO ESCRITÓRIO. PARA OS QUE RESIDEM NO INTERIOR DO ESTADO, PODEM NOS PROCURAR PELO E-MAIL OU PELOS TELEFONES.   ...
 
24/02/2015 - Video sobre boletos falsos
O INPI Não envia boletos ao cliente
Segue o link para que todos os clientes da Soligo & Advogados, possam ficar cientes dos golpes que vem sendo aplicados nas pessoas que de boa fé contratam profissionais sérios para requerer o registro de suas marcas. Se receberm ...
 
29/07/2014 - Registro de Domínio
Presidenta da República ganha titularidade de sites com seu nome
Sentença proferida pela 8ª Vara Cível de Campo Grande julgou parcialmente procedente a ação movida pela Presidenta da República contra W.P.M. e G.F. para declarar que cabe a autora a titularidade dos domínios “www.dilma.com.br” e “www.dilma13.com.br”, desconstituindo o registro anterior dos domínios em nome dos réus. Narra a autora que ingressou com a ação pretendendo a declaraç&atild...
 
10/06/2014 - Músicos - cadastro em órgão de classe.
Músico não precisa de inscrição em órgão de classe para exercer a profissão
A Quarta Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) decidiu, por unanimidade, que a profissão de músico não exige inscrição na Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) nem o pagamento de taxas ou mensalidades por ser a música uma das formas de manifestação da arte, devendo ser livre a sua expressão. Segundo Lei nº 3.857/60, que criou a Ordem dos Músicos do Brasil, seria necessário o ...
 
24/03/2014
Rótulo de produto deve informar a existência ou não de glúten entende TJMS
Por unanimidade, a 5ª Câmara Cível negou o pedido de Apelação interposta pela Associação dos Aposentados, Pensionistas e Idosos de Campo Grande e do Estado, inconformada com a sentença prolatada pelo juiz de Direito da 2ª Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos da Capital, que julgou parcialmente procedente seu pedido nos autos de uma Ação Coletiva de Danos Morais em desfavor de uma empresa de im...
 
 
Voltar
Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.
Nome: 
E-mail: 
Cidade: 
9999 Repita o
código:
 
Soligo & Advogados S/S
Rua Coronel Cacildo Arantes n.º 709 - Bairro Chácara Cachoeira - CEP: 79040-452 -  Campo Grande (MS) - Brasil
+55 (67) 33051823  - +55  (67) 99859-6616
 
SOBRE
- O Escritório
- Localização
- Contato
 
MAIS
- Artigos - Links Úteis
- Notícias - Área de Atuação
- Premios Recebidos - Propriedade Intelectual
Copyright ® Soligo & Advogados é marca registrada perante ao INPI - Todos os direitos de reprodução reservados.