Inicial O Escritório Localização Contato
Artigos Links Úteis Notícias Área de Atuação Premios Recebidos Propriedade Intelectual
 
Notícias
10/06/2014 - Músicos - cadastro em órgão de classe.
Músico não precisa de inscrição em órgão de classe para exercer a profissão
 

A Quarta Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) decidiu, por unanimidade, que a profissão de músico não exige inscrição na Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) nem o pagamento de taxas ou mensalidades por ser a música uma das formas de manifestação da arte, devendo ser livre a sua expressão.

Segundo Lei nº 3.857/60, que criou a Ordem dos Músicos do Brasil, seria necessário o registro na autarquia para poder exercer a profissão. Porém, segundo a relatora do acórdão, desembargadora federal Marli Ferreira, essa exigência não foi recepcionada pela Constituição Federal de 1988, por ser incompatível com a liberdade de expressão artística e de exercício profissional, asseguradas no artigo 5º, incisos IX e XIII.

A decisão manteve liminar concedida pela 1ª Vara de São José do Rio Preto em um mandado de segurança impetrado por um músico que teria apresentações programadas no Sesc Taubaté, Catanduva, Birigui e São José do Rio Preto, mas que a Ordem dos Músicos o estaria impedindo de se apresentar.

O músico alegou que faz parte de uma banda e que realiza apresentações em casas de shows, bares, clubes e festas e que, embora seja músico profissional, a OMB não permite apresentações em determinados locais sem que ele efetue o pagamento de mensalidades, exigindo, inclusive, que ele se filie à entidade, passando a pagar anuidades, com a emissão de carteira profissional.

Já a OMB afirmou que o artista não se limita a manifestar sua expressão artística e musical, mas que dela irá auferir rendimentos de natureza econômica, o que passa a ser exercício profissional. Alegou ainda que, para que o músico possa exercer a sua profissão é necessário, além da qualificação profissional específica, estar regularmente inscrito na Ordem dos Músicos do Brasil, no Conselho Regional do Estado de São Paulo.

Na decisão do TRF3, a desembargadora Marli Ferreira afirmou que “de fato, o art. 5º, XIII, da CF assegura a liberdade de trabalho, ofício ou profissão e determina a observância das qualificações legais”. Porém, ressaltou que a regulamentação de atividade profissional depende da demonstração de existência de interesse público a proteger.

“Portanto, não seria razoável aplicar, relativamente aos músicos, restrições ao exercício de sua atividade, na medida em que ela não oferece risco à sociedade, diferentemente, por exemplo, das atividades exercidas por advogados, médicos, dentistas, farmacêuticos e engenheiros, que lidam com bens jurídicos extremamente importantes, tais como liberdade, vida, saúde, patrimônio e segurança das pessoas”.

Ela afirmou ainda que “a música constitui uma das formas de manifestação da arte, exercendo o seu autor ou intérprete a liberdade supra mencionada e submetendo-se ao crivo da opinião pública. Sendo assim, apesar de a Carta Magna permitir restrições para o exercício de atividade profissional por meio de lei ordinária, tais restrições só poderão ser impostas com observância dos princípios constitucionais da proporcionalidade e da razoabilidade, justificando-se a fiscalização somente no caso de atividade potencialmente lesiva”.

A decisão da turma concluiu, portanto, ser desnecessária a exigência de inscrição perante o órgão de fiscalização, seja ele ordem ou conselho.

 
 
Fonte: TRF3 e Portal da Justiça Federal em 07/06/2014

[+] Notícias
04/09/2015 - CONTRATOS RELATIVOS AO PCT - PLANO DE PARTICIPAÇÃO COMUNITÁRIA DA INEPAR
CONTRATOS RELATIVOS AO PCT - PLANO DE PARTICIPAÇÃO COMUNITÁRIA DA INEPAR
SE VOCÊ TEM CONTRATO ASSINADO COM A INEPAR, REFERENTE A AQUISIÇÃO DE LINHAS DE TELEFONE NA CIDADE DE CAMPO GRANDE (MS), E ESTÁ FORA DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL, PODERÁ ENTRAR EM CONTATO COM NOSSO ESCRITÓRIO PARA MAIORES ESCLARECIMENTOS.   PARA OS QUE RESIDEM EM CAMPO GRANDE, PODE NOS PROCURAR DIRETAMENTE EM NOSSO ESCRITÓRIO. PARA OS QUE RESIDEM NO INTERIOR DO ESTADO, PODEM NOS PROCURAR PELO E-MAIL OU PELOS TELEFONES.   ...
 
24/02/2015 - Video sobre boletos falsos
O INPI Não envia boletos ao cliente
Segue o link para que todos os clientes da Soligo & Advogados, possam ficar cientes dos golpes que vem sendo aplicados nas pessoas que de boa fé contratam profissionais sérios para requerer o registro de suas marcas. Se receberm ...
 
29/07/2014 - Registro de Domínio
Presidenta da República ganha titularidade de sites com seu nome
Sentença proferida pela 8ª Vara Cível de Campo Grande julgou parcialmente procedente a ação movida pela Presidenta da República contra W.P.M. e G.F. para declarar que cabe a autora a titularidade dos domínios “www.dilma.com.br” e “www.dilma13.com.br”, desconstituindo o registro anterior dos domínios em nome dos réus. Narra a autora que ingressou com a ação pretendendo a declaraç&atild...
 
24/03/2014
Rótulo de produto deve informar a existência ou não de glúten entende TJMS
Por unanimidade, a 5ª Câmara Cível negou o pedido de Apelação interposta pela Associação dos Aposentados, Pensionistas e Idosos de Campo Grande e do Estado, inconformada com a sentença prolatada pelo juiz de Direito da 2ª Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos da Capital, que julgou parcialmente procedente seu pedido nos autos de uma Ação Coletiva de Danos Morais em desfavor de uma empresa de im...
 
20/03/2014
OAB/MS propõe criação de Comissão Nacional de Propriedade Industrial e Pirataria
A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS), solicitou ao Conselho Federal da OAB a criação da Comissão Nacional de Propriedade Industrial e Pirataria. O pedido foi encaminhado na última sexta-feira (14) e é de iniciativa da Comissão de Propriedade Intelectual (CPI) da Seccional. A proposta tem como objetivo reunir contribuições de outros estados e ampliar a discussão nacional quanto ao rumo do direi...
 
 
Voltar
Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.
Nome: 
E-mail: 
Cidade: 
1291 Repita o
código:
 
Soligo & Advogados S/S
Rua Coronel Cacildo Arantes n.º 709 - Bairro Chácara Cachoeira - CEP: 79040-452 -  Campo Grande (MS) - Brasil
+55 (67) 33051823  - +55  (67) 99859-6616
 
SOBRE
- O Escritório
- Localização
- Contato
 
MAIS
- Artigos - Links Úteis
- Notícias - Área de Atuação
- Premios Recebidos - Propriedade Intelectual
Copyright ® Soligo & Advogados é marca registrada perante ao INPI - Todos os direitos de reprodução reservados.